FRETE GRÁTIS PARA COMPRAS ACIMA DE R$ 50,00. APROVEITE!

Sem preconceito. Precisamos falar sobre o cocô.

de Humberto pampam em June 22, 2021

É necessário quebrar esse tabu e falar sobre o cocô abertamente. Por quê? Porque o cocô está diretamente ligado à nossa saúde!

 

Um assunto tabu.

Ao mencionar a palavra cocô fica fácil de perceber algumas caretas, fisionomias claramente incomodadas e até pessoas deixando o local. Mas por quê?

Por mais que as pessoas prefiram manter os hábitos do seu intestino em segredo, seja por conta da vergonha, ou de qualquer outra questão, é necessário quebrar esse tabu e falar sobre o cocô abertamente. Por quê? Porque o cocô está diretamente ligado à nossa saúde e ao bem-estar de quem vive conosco. Então, vamos deixar o preconceito de lado e conhecer alguns fatos bastante curiosos sobre o tal cocô.

 

O cocô é composto, quase em sua totalidade, por bactérias.

Apesar de muitos acharem que o cocô seja resultado dos restos de comida que ingerimos, na verdade o cocô é composto por bactérias e água. Isso mesmo.

Há também substâncias que foram ingeridas, em menor grau, que facilitam ou dificultam a formação do bolo fecal dependendo da sua dieta.

 

As fibras são grandes aliadas.

Elas facilitam a formação do cocô, incentivam o movimento do intestino e dão consistência às fezes facilitando o momento de saída.

Se existe o “cocô perfeito”, o segredo para formá-lo é ingerir muita água e muitas fibras.

 

Cocô perfeito? Como assim?

Existem algumas recomendações de especialistas para que o seu cocô saia o mais próximo possível da perfeição em relação ao tamanho, formato, frequência e o esforço que você faz. Por exemplo: o cocô não deve “boiar”, pois esse fato sinaliza má absorção de nutrientes e excesso de gases.

O seu formato deve ser o famoso “formato salsicha”, pois significa que teve facilidade ao sair.

Sua cor deve ser a marrom. Nós devemos ligar o sinal de alerta para qualquer outra cor, pois as outras cores podem indicar problemas no aparelho digestivo.

Outra questão é o mau cheiro. Fezes com mau cheiro é normal, por conta das bactérias, e para isso, temos PamPam que bloqueia 100% do mau cheiro, mas o excesso de odor pode indicar uma dieta rica em gorduras ou algum problema intestinal.

Se notar qualquer uma dessas alterações, procure um médico.

 

Existe uma frequência exata para visitar o banheiro?

A resposta é não. Tudo vai depender da sua dieta e de seus hábitos diários. Todos os dias, nós produzimos em média 150g de fezes que ficam alojadas no intestino grosso. Conforme o acúmulo vai aumentando, o esfíncter do reto envia uma mensagem ao cérebro alertando que é hora de visitar o banheiro.

Homens e mulheres podem ter hábitos e frequências muito diferentes quando o assunto é eliminar o cocô. Por quê? Mulheres possuem órgãos “extras” como útero e ovários, o que resulta em cólons mais baixos e mais longos. Os homens também, geralmente, possuem a parede do abdômen mais rígida, fato que auxilia na hora de empurrar o cocô para a saída. Isso significa que para a mulher o desafio tende a ser maior.

Agora, que você já sabe que não existe tabu, traga o assunto cocô para o seu dia a dia sem preconceito! Dessa forma, ficaremos muito mais ligados em suas alterações e possíveis problemas.

 

 

1 comente
de Danny Flávia em August 10, 2021

Adorei saber mais sobre o assunto. Quando o assunto é saúde informação nunca é demais.
Obrigada.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Os comentários devem ser aprovados antes de aparecer