FRETE GRÁTIS Em compras acima de R$60,00 - para as regiões sul e sudeste!

O que você precisa saber sobre o cocô dos bebês.

de César Komoti em March 17, 2021

 

 

O cocô é um ótimo indicador sobre a saúde das crianças. Veja as fases de desenvolvimento e o que observar em cada uma delas.

 

Falar sobre cocô é sempre constrangedor, mas precisamos quebrar esse tabu. Pode não ser um assunto para uma roda de amigos, mas quando nos tornamos mãe, descobrimos a necessidade de saber mais sobre o n° 2 e o assunto vira natural.

Devemos saber que, segundo pediatras, o cocô é um excelente indicador de saúde dos filhos e, por isso, o assunto deve ser tratado sem constrangimentos.

E falando em bebês, você sabia que o intestino começa a se formar entre a terceira e a quarta semana de gravidez, ainda sem uma função? É isso mesmo, aativação do intestino do recém-nascido inicia somente quando ele nasce e entra em contato com os microrganismos da flora da mãe. Essa é uma das vantagens de ter um parto normal. Conheça a seguir as fases de evacuação do seu filho até ele se tornar independente.

 

As primeiras fezes do bebê

Como você já deve ter lido e ouvido por aí, o leite materno é o alimento ideal para os primeiros meses de vida, pois é rico em prebióticos que ajudam a manter a flora intestinal equilibrada. As primeiras fezes do bebê são chamadas de mecônio e possuem uma textura pegajosa, decoloração verde-escura e começam a clarear somente a partir do quinto dia de vida.

Nessa fase, o mau cheiro será um indicador da quantidade de tempo que o bolo fecal passou no intestino e não de possíveis problemas com alimentação. Existem bebês que fazem cocô a cada vez que mamam e outros que demoram até sete dias para evacuar, daí o mau cheiro pode acontecer, por conta do acúmulo de bactérias. Ambos estão dentro da normalidade, pois vale lembrarmos que a flora intestinal ainda está em formação.

 

Bebês têm intestino preso?

Após as primeiras colheradas da famosa papinha, aquele cocô de aspecto pegajoso vai se tornando mais consistente. Essa é a fase em que o leite continua sendo importante, mas já não supre todas as necessidades do bebê, sendo assim, os alimentos mais sólidos ganham relevância, o que vai interferir diretamente nas fezes do bebê.

Segundo gastroenterologistas, é normal nessa fase o bebê levar mais tempo para fazer o n° 2, pois alimentos mais sólidos levam mais tempo para serem digeridos podendo acontecer uma leve prisão de ventre, mas nesse caso, é totalmente normal.

Frutas amassadas ajudam a regular a flora e facilitar a saída do cocô do bebê.

 

Seu bebê começou a usar o penico

Durante esse período, os bebês geralmente passam a ter uma melhor percepção e controle dos músculos responsáveis por segurar o xixi e o cocô e iniciam uma escalada, rumo à independência. 

As mães vão notar que o xixi vai se tornar independente antes que o cocô e isso é normal, segundo pediatras, pois os músculos do ânus possuem características diferentes, o que requer maior domínio das funções motoras do bebê.

Para facilitar, vale a pena apostar em desenhos e ilustrações no banheiro para que o momento do n° 2 se torne agradável para a criança.

Uma tarefa muito importante para as mães é ir até o penico e observar a consistência e a cor do n° 2 logo após a criança evacuar, mas lembre-se de respeitar o ritmo que cada criança demora nesse momento. Se você notar fezes muito endurecidas ou muito aquosas,lembre-se sempre dos alimentos ingeridos e, se notar algo que possa fugir da normalidade, procure um médico pediatra.

Os pais sempre devem supervisionar a higiene do filho e acostume-se: on° 2 vai deixar de ser assunto da família somente à medida que ele se tornar independente, mas nem por isso deve ficar em segundo plano.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Os comentários devem ser aprovados antes de aparecer